Conhe

Conhe
Localizado a 7km de Tiradentes, este distrito de Prados encanta com artes e artesanatos passados de geração em geração. 

Pautando Minas - O distrito de Vitoriano Veloso (Bichinho) pertence a cidade de Prados desde 1938, e é conhecido também pelo sugestivo nome de “Bichinho”, um povoado que se formou com a descoberta de ricas lavras de ouro nos princípios do século XVIII. O nome atual é uma homenagem ao inconfidente Vitoriano Gonçalves Veloso, negro, escravo alforriado e alfaiate que nasceu e viveu na região. Ele era vizinho e compadre de D. Hipólita, a única mulher a participar ativamente no movimento revolucionário (Inconfidência).

Hoje, o povoado é uma sequência de casas antigas que servem tanto como residências quanto como oficinas, ateliês, lojas de artesanatos. Uma dica ótima também é conhecer a barbearia Nômade, do barbeiro e pintor Léo.  Com um aspecto antigo, a barbearia torna-se um ótimo atrativo não só para quem quer cortar o cabeço ou fazer a barba, mas quem gosta de uma boa leitura, um papo sobre a cidade ou espaço para ver algumas obras de arte. Ela se mistura com tudo que há de melhor na cidade.

Sem falar na produção artesanal de doces, tradição que é passada de geração em geração na comunidade. Bichinho se orgulha de ser uma das grandes concentrações de artesãos do Circuito Trilha dos Inconfidentes. A criatividade e simplicidade desses artesãos chamam a atenção dos visitantes.

As peças e pinturas nascem do aproveitamento de material de demolição, madeira, ferro, lata, plásticos e tecidos de algodão. A qualidade das peças é que garantem as exportações para vários estados do país e até para o exterior.

Móveis, telas, bordados, fuxicos, crochês, tapetes, esculturas e adornos em geral estão por toda a parte. O histórico povoado fica a 7km de Tiradentes, com acesso pela estrada de terra que liga esta cidade a Prados (12km) e que proporciona um visual encantador da Serra de São José.

Quando for a Bichinho, não deixe de passar pela Igreja de Nossa Senhora da Penha, visita aos ateliês e lojas de artesanatos  como a Oficina de Agosto, Canto do Bichinho, Fuxico da Carmem, Barraca da Joana e o Museu do Automóvel, logo na entrada da cidade.

 

Para mais informações acesse http://www.bichinho.net/

Colunistas