Americanos escolhem novo presidente nesta ter

Americanos escolhem novo presidente nesta ter
Expectativa é que na madrugada de quarta-feira o mundo já tenha conhecido o novo presidente dos EUA

Pautando Minas - Hillary Clinton ou Donald Trump? É tal questão que os americanos vão decidir nesta terça-feira. Se mantén os democratas no poder ou se os republicanos serão os novos comandantes de um dos países mais importantes do mundo.

Na agenda várias situações: terrorismo, Rússia, Síria, economia, imigrantes, México e entre inúmeros outros fortes assuntos. É isso que o americano vai escolher indo às urnas.

As urnas que já estão abertas em todo país, contará com número recorde de latinos votando, o que deverá ser forte apoio à Hillary Clinto, já que Trump dirigiu-se de forma raivosa por inúmeras vezes à estas pessoas.

Contudo, nem por isso será fácil para a democrata, isso se ela vencer. Já que nos últimos momentos da campanha o FBI - a Polícia Federal americana - havia afirmado que reabriria o caso dos emails corporativos de Clinton. Ela é acusada de usar um servidor pessoal de email para tratar assuntos sensíveis do Estado americano. 

Com a bomba e a imprensa noticiando em massa, Clinton perdeu o clima de favoritismo que trazia depois que Trump também caiu em escândalos sexistas e misóginos.

Nesta última segunda-feira, ambos passaram por estados pêndulos, conhecidos como "swing states". São estes locais nos EUA que definem eleições, já que são estados independentes, ou seja, que não possui uma certa preferência em um partido. É o caso da Flórida, Ohio, Carolina do Norte. Em dois destes (Flórida e Ohio), o candidato republicano vence de forma apertada, sendo que na Flórida a diferença na média das pesquisas não chega a 1 ponto percentual. 

Já na Carolina do Norte, estado alvo da campanha de Hillary, também no último dia de campanha, a democrata vence com alguns porcentos de diferença. Nas projeções, Trump teria que vencer quase todos os estados pêndulos para chegar à Casa Branca, o que parece difícil.

Nesta segunda, durante à noite, até a cantora Madonna fez um show para Hillary, em uma praça em Nova Iorque, de surpresa, arrastando centenas de pessoas para o local.

Trump usou, mais uma vez, o seu tom agressivo e decidiu que por ele Hillary é corrupta.

Mas como acontece a eleição?

O sistema eleitoral americano é expressivamente diferente do brasileiro. Primeiro acontece as primárias, que arrasta discussões políticas desde 2015. 

Com isso, vários democratas e republicanos demonstram interesses em disputar a corrida pela Casa Branca e disputam delegados em estados, onde a população vota nas Primárias. Quem conseguir mais delegados entre os concorrentes de cada partido, será o escolhido para concorrer a presidência.

Hillary enfrentou Bernie Sanders e Trump enfrentou 15 candidatos, mas tendo Marco Rubio e o super conservador Ted Cruz como principais adversários.

Uma vez escolhidos, os candidatos possuem alguns meses de campanha onde perpassam por inúmeros locais no país. A eleição termina no dia 8 de novembro.

Neste caso, um sistema chamado "The Winner Take it All", que em tradução livre quer dizer "O Vencedor leva Tudo", é o definidor do pleito. Isso porque os americanos votam, mas não escolhem diretamente o eleito.

Cada estado possui delegados proporcionalmente ao número de sua população. Na Califórnia, por exemplo, existem 55 delegados e na Virgínia, um estado menor em quesito de população existem 13.

Suponha que Trump tenha 51% dos votos válidos contra 49% de Hillary na Flórida, portanto, no sistema O Vencedor Leva Tudo, o republicano levará todos os delegados daquele estado. Contudo, imagine, novamente, que Clinton tenha vencido na Virgínia com 70% dos votos válidos contra 30% de Trump, sendo assim, novamente, a democrata levaria todos os 13 delegados.

Isso acontece em todos os estados, com exceção de Maine e Nebraska, que possuem distritos e cada distrito possui seu delegado. No final, aquele que obtiver 270 votos, ou seja, metade mais um dos delegados - que totalizam 538 -, é eleito presidente.

Caso nenhum dos candidatos atinjam o número, a eleição vai para a Câmara dos Deputados e cada delegação com seus delegados tem direito a um voto para escolher o novo presidente americano.

Perceba que mesmo que um candidato vença em número de votos válidos no país inteiro, ele poderá não ser eleito, caso não atinja os 270 votos de delegados. Se o candidato A obtiver 52% dos votos de todos os eleitores e o candidato B 48%, mas o candidato B venceu em estados chaves que lhe deram 275 delegados e o canididato A atingiu 263 delegados, mesmo obtendo 52% dos votos de todo o país, o candidato A não leva porque não conseguiu o número de delegados necessários.

Colunistas