Vereadora mais votada em BH vai propor redu

Vereadora mais votada em BH vai propor redu
Eleita com 17.420 de votos, a maior votação na Câmara de Belo Horizonte em 12 anos, Áurea Carolina (Psol), negra e feminista, tem como uma de suas primeiras propostas reduzir o salário dos vereadores, que é de R$ 15.066,59; “É um abuso um salário tão alto quando a maioria da população se vira com salários muito baixo. É necessário que o exercício da política como profissão seja um trabalho de cidadania e não coisa para fazer carreira e ficar tão distante da população”, disse

Minas 247 - Eleita com 17.420 de votos, que deram a uma mulher negra e feminista, de um partido de esquerda que nunca havia chegado à Câmara Municipal de Belo Horizonte, a maior votação na Casa, Áurea Carolina (Psol), 32 anos, afirmou que um dos primeiros projetos que pretende apresentar será para reduzir o salário dos vereadores, que é de R$ 15.066,59 atualmente.

“É um abuso um salário tão alto quando a maioria da população se vira com salários muito baixo. É necessário que o exercício da política como profissão seja um trabalho de cidadania e não coisa para fazer carreira e ficar tão distante da população”, disse ela ao Estado de Minas. Áurea Carolina disse que estudará tecnicamente um valor a ser proposto, mas acha que dá para reduzir “bastante”. 

A vereadora eleita firmou em cartório a promessa de doar parte do subsídio para servir a movimentos sociais. “Vou doar pelo menos a metade”, informou a pessolista, que disse contar com o apoio popular para tentar colocar suas ideias em prática na Câmara. “Acredito muito no diálogo, na convivência e acho que vai ser possível criar algum campo de proposição lá dentro", acrescentou.

"Os movimentos vão me amparar, assim como os vereadores que tem respaldo na luta da cidade. Tem os vereadores reeleitos Gilson Reis (PCdoB), Pedro Patrus e Arnaldo Godoy, do PT, que acho que vão ser parceiros. É uma expectativa, porque temos pautas em comum”.

A parlamentar afirmou que sua vitória foi uma demonstração da força do campo de resistência em BH. “É que somos muitas mesmo. Era por convicção e conquistei uma vitória extraordinária para as mulheres, a população negra, a juventude, geral colou em busca de outra política possível”, afirmou. 

Após ver sua vitória consagrada, Áurea foi comemorar com o povo na entrada do Psol. Aclamada com gritos de mulher preta, a vereadora eleita retribuiu com um discurso de participação popular. “Geral, nós vamos construir um mandato popular para as mulheres, para a população negra, as juventudes, a população LGBT, as ambulantes, população de rua, quem rala todo dia nessa cidade, por nenhum direito a menos, por nenhum despejo a mais. É por dignidade por diversidade, uma política de amor, radicalmente democrática. Tamos juntas! Fora Temer”.

Colunistas